Aprenda a gostar, mas gostar mesmo, das coisas que deve fazer e das pessoas que o cercam. Em pouco tempo descobrirá que a vida é muito boa e que você é uma pessoa querida por todos. Rubem Alves

domingo, 15 de março de 2015

As três peneiras de Sócrates

As três peneiras  de  Sócrates

         Um homem foi ao encontro de Sócrates levando ao filósofo uma informação que julgava de seu interesse:
         - Quero contar-te uma coisa a respeito de um amigo teu!
       - Espera um momento – disse Sócrates – Antes de contar-me, quero saber se fizeste passar essa informação pelas três peneiras.
         - Três peneiras? Que queres dizer?
      - Vamos peneirar aquilo que quer me dizer. Devemos sempre usar as três peneiras. Se não as conheces, presta bem atenção. A primeira é a peneira da VERDADE. Tens certeza de que isso que queres dizer-me é verdade?
         - Bem, foi o que ouvi outros contarem. Não sei exatamente se é verdade.
       - A segunda peneira é a da BONDADE. Com certeza, deves ter passado a informação pela peneira da bondade. Ou não?
Envergonhado, o homem respondeu:
         - Devo confessar que não.
        - A terceira peneira é a da UTILIDADE. Pensaste bem se é útil o que vieste falar a respeito do meu amigo?
        - Útil? Na verdade, não.
       Então, disse-lhe o sábio, se o que queres contar-me não é verdadeiro, nem bom, nem útil, então é melhor que o guardes apenas para ti.

        Moral da história:  Se as pessoas usassem desses critérios, seriam mais felizes e usariam seus esforços e talentos em outras atividades, antes de obedecer ao impulso de simplesmente passá-los adiante.

Você entendeu o texto?

1.      Quem é Sócrates e o que ele quis ensinar com esse texto?

2.      Qual o sentido das  peneiras na leitura?

3.      As pessoas que conhecemos, costumam ter esse comportamento? Quando ficam sabendo de algum fato, logo querem ser os primeiros a contar? Você já procedeu assim alguma vez? Conhece alguém que age ou agiu desta maneira?

4.      Em caso afirmativo houve consequências? Enumere-as. 

5.      Como posso avaliar se o que vou falar é verdadeiro, bom e necessário?

6.      É fácil ou difícil tomar conhecimento de alguma história, guardar segredo ou simplesmente esquecer que ouviu, sem maiores comentários.

7.      Você já foi atingido por um mal entendido assim? Como  você se sentiu? Gostaria que algum amigo  passasse por uma situação constrangedora por conta de uma fofoca, assim?

8.      É sempre bom ter em mente a seguinte máxima: "Fazer aos outros, somente aquilo que queremos que façam a nós". Como você pode interpretar essa máxima?

Desenvolvendo a criatividade

a)      Elaborar  um trabalho interpretativo sobre o que mais lhe chamou a atenção no texto: através de um desenho, de um texto, de recorte e colagem, em forma de poesia, ou outra forma na qual melhor conseguir se expressar.


b)      Criar  um comentário em mais ou menos quinze linhas sobre as questões que envolvem... Verdade - Bondade - Necessidade, existentes no texto.

Conta-se que a ideia das três peneiras foi atribuída a Sócrates, filósofo ateniense, que se pautava a sua vida sob três pilares: VERDADE, BONDADE  e NECESSIDADE.





Nenhum comentário:

Postar um comentário