Aprenda a gostar, mas gostar mesmo, das coisas que deve fazer e das pessoas que o cercam. Em pouco tempo descobrirá que a vida é muito boa e que você é uma pessoa querida por todos. Rubem Alves

sábado, 9 de setembro de 2017

A constituição do mundo medieval



1.      Que  fato  estabeleceu o fim da Idade Antiga e o início da Idade Média?   

       A queda do Império Romano do Ocidente

2.    O que foi o feudalismo e quais as suas características?

    Feudalismo era um modo de organização da sociedade no trabalho servil e que foi predominante na Europa durante a Idade Média.

  Principais características: poder politico descentralizado, economia de base agrícola e autossuficiente e fraca atividade comercial.

3.      Como se estabeleciam os laços de suserania e vassalagem?

   Vassalo (aquele que recebe um feudo) comprometia-se a apresentar armado e a cavalo sempre que fosse convocado a comparecer no tribunal presidido pelo suserano; a dar ajuda em dinheiro para armar cavaleiro o filho de seu senhor.

   Suserano (aquele que doava o feudo)   prometia dar proteção militar e assistência jurídica ao seu vassalo.

4.      Qual a diferença entre servo e escravo?

    Os servos possuíam uma dívida com o Senhor Feudal, pelo empréstimo de terras, para se produzir e morar. O servo, pagava ao Senhor Feudal impostos e dava parte da produção. Já o escravo, era uma propriedade do seu senhor, podendo então, castigá-lo, vendê-lo ou alugá-lo.

5.      Quais as principais obrigações do servo para com o senhor feudal?

    Na época do feudalismo, durante a Idade Média, os servos (camponeses) habitavam as terras dos senhores feudais. Em troca, eram obrigados a pagar taxas em forma de trabalho e mercadorias. Quase tudo que produziam acabava indo para as mãos dos senhores feudais. Para os servos, sobrava apenas o pouco para a sobrevivência da família.

6.      Como estava  dividida  as terras do feudo? Defina cada uma delas enfatizando a quem pertencia a propriedade e a produção delas.

Estavam  divididas em três grandes áreas:

 O manso senhoril  -   Eram de utilização exclusiva do senhor feudal. Porém, os servos eram convocados para trabalharem de 2 a 3 dias por semana nesta terra, sendo que toda produção era destinada ao senhor feudal.

  O manso servil -  Eram as terras destinadas ao uso dos servos (camponeses do feudo).

 Terras comunais  - Área do feudo de uso coletivo. Eram os bosques, florestas e pastos. Porém, dependendo do feudo existiam regras para sua utilização.

7.      Quais as principais elementos que compunham o feudo?

     Castelo, igreja, aldeia, pastos, moinho de vento.

8.      Como se dividia a sociedade feudal?
  •  Nobreza [reis, duques, marqueses, condes, viscondes e barões];
  • Clero [papa, cardeais, bispos, abades, monges e padres]
  • Camponeses [servos e os livres]Descrição: top afiliado
9.      Quais as principais obrigações dos camponeses (servos)?
  • Corveia: trabalhar de graça para o senhor alguns dias da semana;   
  • Talha: entregar parte do que produzia ao Senhor no lote reservado ao seu uso;     
  • Banalidade: pagamento em produtos que deviam ao senhor pelo uso do forno, moinho e prensas; 
  •   Dízimo: 10% do que produziam à Igreja.Descrição: top afiliado

10.      Explique qual era a situação econômica e social do servo e sua importância.

      Eram camponeses e não podiam deixar o feudo. Tinham deveres e obrigações como a corveia, a talha, banalidade e o dízimo. Tudo que produziam, a maior parte ia para seus senhores, leigos  e religiosos.Descrição: top afiliado

11.  De onde vinha a riqueza da igreja medieval?

     Vinham das doações de terras e dinheiro que recebia dos fies e dos impostos que cobrava dos servos.

12.  Qual foi o papel desempenhado pela Igreja Católica durante o feudalismo?

      Conquistar a fé cristã; tarefa que executou de maneira efetiva e eficaz. Era a maior e a mais poderosa instituição do período. Sua influência alastrou-se aos poucos entre os povos romanos e germânicos, transformando-a no principal elo de toda a população e garantindo certa uniformidade cultural à Europa ocidental.

13.  O que era e como agia a inquisição?

      A Inquisição foi criada na Idade Média (século XIII) e era dirigida pela Igreja Católica Romana. Ela era composta por tribunais que julgavam todos aqueles considerados uma ameaça às doutrinas (conjunto de leis) desta instituição. Todos os suspeitos eram perseguidos e julgados, e aqueles que eram condenados, cumpriam as penas que podiam variar desde prisão temporária ou perpétua até a morte na fogueira, onde os condenados eram queimados vivos em plena praça pública.

14.  O que foram as Cruzadas Medievais?

      Cruzadas foram movimentos militares cristãos em sentido à Terra Santa com a finalidade de ocupá-la e mantê-la sob domínio cristão.

15.  Quais foram os principais motivos das cruzadas?

O desejo de conquistar Jerusalém

16.  Sobre as motivações das Cruzadas, responda às seguintes questões:
  • Qual o interesse da Igreja para com o movimento?
·         O fim do domínio muçulmano na Terra Santa.
  • Quais os interesses econômicos vinculados às Cruzadas?
·         Comprara e vender produtos

17.  Explicar o que é:  
  • Dinastia Carolíngia  -  Período do reinado, durante a Idade Média, em grande parte da Europa.
  • Povos bárbaros  -  era todo aquele que vivia além das fronteiras do Império Romano e, portanto, não possuía a cultura romana.
  • Escambo -   Troca de mercadorias ou serviços sem fazer uso de moeda. 
  • Mosteiro -  é um edifício de habitação, oração e trabalho de uma comunidade de monges e freiras, e que é construído fora da malha urbana de uma cidade 
18.  Quem foi Pepino, o Breve? Qual foi a sua importância?
        Era filho mais novo de Carlos Martel e fundador da dinastia carolíngia,  reinou de 751 a 768.   Conhecido como “o Breve", em virtude de sua baixa estatura,

19.  Cite algumas características do Império Carolíngio. 

      Também conhecido como o Império de Carlos Magno, foi o império estabelecido pela dinastia carolíngia, sob o reinado do Imperador Carlos Magno (742 – 814). ... Carlos Magno expandiu o império além dos limites conquistados por seu pai Pepino, o Breve, graças a uma política voltada para o expansionismo.

Observação:

        Bárbaro se refere a uma pessoa tida como não  civilizados
Os romanos usavam a palavra "bárbaros" para todos aqueles que habitavam fora das fronteiras do império e que não falavam a língua oficial dos romanos

        Dinastia é uma sequência de governantes considerados como membros da mesma família.         
   

Senso crítico, senso comum e conhecimento científico.



Leia o texto e responda às  questões  a seguir. 
             
*      Senso crítico

          Senso crítico  significa a capacidade de questionar e analisar de forma racional e inteligente. Ao utilizar o senso crítico, o indivíduo usa de suas faculdades para pensar e questionar o que observa, aprimorando sua capacidade intelectual, conseguindo assim estudar, pesquisar e resolver os fatos e condições da melhor maneira possível.
         Questionando e refletindo sobre os assuntos, o homem aprendeu, durante sua história, a buscar a verdade, a conscientizar-se de sua realidade dentro do ambiente em que vive.
        A filosofia estabelece que o senso crítico é atrelado ao desenvolvimento de uma consciência reflexiva no mundo em que vive, baseada nas experiências do ego, através de uma autocrítica e de uma crítica da sociedade em que está baseado.
        O Senso Crítico tem por base aquilo que é concreto: a análise crítica, a pesquisa, a reflexão. É muito aproveitável e bom para o indivíduo e para a sociedade. Isso se deve ao fato de que ao utilizar o            Senso Crítico o indivíduo passa a pensar e refletir. E com isso aprimora suas capacidades intelectuais. Muitas vezes a maioria das pessoas deixa de solucionar problemas de maneira coerente por não parar para refletir e estudar a melhor maneira de resolvê-los.
        É preciso perguntar sempre. Perguntar a si mesmo se o que temos ao nosso dispor é realmente bom para nós, se é possível melhorar, se é verdade. Nunca devemos aceitar as coisas sem questionar, pois questionar é pensar. E pensar é humano.

*      Senso comum

           O senso comum é o conhecimento que nos ajuda a nos situarmos no cotidiano, para compreendê-lo e agir sobre ele. Mais importante, poderíamos dizer que se trata de um conjunto de crenças, já que esse conhecimento quase sempre  recebemos pela tradição, de modo espontâneo e não critico. Mas não só,  trata-se também do esforço que fazemos para resolver os problemas que surgem no dia a dia, buscando soluções muitas vezes bastante criativas. 
            O senso comum é frequentemente subjetivo, porque depende do ponto de vista individual e pessoal, não fundado no objeto, e condicionado por  sentimentos ou afirmações arbitrarias do sujeito.
            Diferentemente do senso crítico, são as opiniões inconclusivas, sem um fundamento mais aprofundado, ou seja, são tradições e maneiras de viver que se desenvolvem numa sociedade, fazendo parte da herança cultural de uma população. É a maneira que a maioria das pessoas encontra para reagir conforme o que a sociedade pede delas, sem necessitar de julgamentos ponderados e inteligentes, analisados e coerentes com uma percepção mais aguçada.

*      Conhecimento científico

          O conhecimento científico é uma conquista recente da humanidade, datando de cerca de quatrocentos anos. No pensamento grego, ciência e filosofia achavam-se ainda vinculadas e só vieram a se separar a partir da Idade Moderna, no século XVII, com a revolução científica instaurada por Galileu.
          A ciência moderna nasce ao determinar seu objeto específico de investigação e ao criar um método confiável pelo qual estabelece o controle desse conhecimento. São os métodos rigorosos que possibilitam demarcar um conhecimento sistemático, preciso e objetivo que permita a descoberta de relações universais entre os fenômenos, a previsão de acontecimentos e também a ação sobre a natureza de maneira mais segura.
         Conhecimento científico é a informação e o saber que parte do princípio das análises dos fatos reais e cientificamente comprovados. Esse tipo de conhecimento surgiu da necessidade e do desejo que o ser humano tem em saber como as coisas funcionam, não as aceitando de forma passiva e sem questionamentos. Com isso, foi possível ao ser humano entender os fenômenos naturais e intervir cada vez mais nos acontecimentos diários. Quando utilizado de forma correta, esse tipo de conhecimento traz muitos avanços para a humanidade.  O  conhecimento  científico  é  expresso  sob  a  forma  de  enunciados  que demonstram,  experimentam e  comprovam  as  condições  que  determinam  a ocorrência  dos  fatos  e  dos  fenômenos  relacionados  a  um  problema,  tornando claras  as  relações  e  os  sistemas  de  dependência  que  existem  entre  suas propriedades.
          O conhecimento científico é uma continuação do senso comum, pois é por meio dele que se investe em pesquisas para comprovar ou desmentir fatos que são baseados no senso comum. O que diferencia o senso comum do conhecimento científico  é o rigor. Enquanto o senso comum é acrítico, fragmentado, preso a preconceitos e a tradições conservadoras, a ciência preocupa-se com as pesquisas sistemáticas que produzam teorias que revelem a verdade sobre a realidade, uma vez que a ciência produz o conhecimento a partir da razão.

*      Comunidade científica

          As conclusões a que chegam os cientistas são avaliadas pelos seus pares, que pertencem a uma comunidade intelectual encarregada do constante exame crítico desses resultados. Uma comunidade científica pode ser entendida como o conjunto dos indivíduos que se reconhecem e são reconhecidos como possuidores de conhecimentos específicos na área da investigação científica.
         Até pouco tempo atrás as grandes realizações científicas eram fruto de gênios individuais, enquanto hoje em dia, cada vez mais, o trabalho da ciência é feito em equipe.


Análise e entendimento

1.      O que é senso crítico?

2.      Explique o que é senso comum. Dê   exemplos desse tipo de conhecimento.

3.      O que você entende por conhecimento científico?  

4.      Escreva as principais características do conhecimento científico.

5.      Quais  as diferenças entre senso comum e conhecimento científico?

6.      Qual a relação entre cotidiano e conhecimento científico? Dê um exemplo de uso cotidiano do conhecimento científico (em qualquer área).

7.      Classifique as ações abaixo em  senso comum  ou  conhecimento científico
 
a)      O uso de chás e remédios caseiros.
b)      A produção da vacina de prevenção ao vírus H1N1.
c)      A descoberta da ação das bactérias nos organismos dos animais.
d)      A crença da força da Lua influenciando o crescimento dos cabelos.

8.      O que é subjetividade?  

9.      Considere a situação:

João foi informado que almoçar e tomar banho em seguida faz mal.

        Essa informação foi baseada em conhecimento do senso comum ou conhecimento científico? Justifique sua resposta.

10.   Qual a importância do senso comum e do conhecimento científico para a vida do homem?

11.  O que é comunidade científica?

Ler é importante, aprender é essencial, mas saber interpretar é fundamental.

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Texto - Meu nome é Felicidade


Olá,
Meu nome é  Felicidade. Sou casada com o Tempo. Ele é responsável pela resolução de todos os problemas, ele constrói corações, ele cura machucados, ele vence a tristeza… Juntos, eu e o Tempo tivemos três filhos: a Amizade, a Sabedoria, e o Amor.
Amizade é a filha mais velha. Uma menina linda, sincera, alegre. A Amizade brilha como o sol. A Amizade une pessoas, pretendendo nunca ferir, sempre consolar.
A do meio é a Sabedoria.  Culta, íntegra, sempre foi mais apegada ao pai, o Tempo. A Sabedoria e o Tempo andam sempre juntos!
O caçula é o Amor. Ah! Como esse me dá trabalho! É teimoso, às vezes só quer morar em um lugar… Eu vivo dizendo: Amor, você foi feito para morar nos  corações, não em apenas um só. O Amor é complexo, mas é lindo, muito lindo. Quando ele começa a fazer estragos eu chamo logo o pai dele, o Tempo, e aí o Tempo vem fechando todas as feridas que o Amor abriu!
E tudo no final sempre dá certo, se ainda não deu, é porque não chegou o final.
Por isso, acredite sempre na família. Acredite no Tempo, na Amizade, na Sabedoria e no Amor. Aí, quem sabe, eu, Felicidade, não bato à sua porta.

Tudo no Tempo de Deus e não no nosso!!!